1. Usuário
Assine o Estadão
assine

A arte do mestre

Lorena Tabosa - O Estado de S. Paulo

21 Junho 2014 | 22h 00

Vindo do Japão nos anos 60, Osamu Hidaka é referência para bonsaístas no Brasil

Zeca Wittner/Estadão
Mestre bonsaísta Osamu Hidaka

 

Com um viveiro de bonsai instalado em Atibaia, no interior paulista, desde 1968, a trajetória de Osamu Hidaka começou na Coreia, onde nasceu em 1935 – na época, o território coreano estava sob domínio do Japão. Ainda criança começou a se interessar pela arte do bonsai cuidando da coleção do avô, quando morava na ilha Kyushu, no sul do Japão. Buscou se especializar e se formou em uma escola agrícola, com foco nos estudos sobre flores e frutas, o que o ajudou na construção de sua própria coleção de bonsai e orquídeas – outra de suas paixões.

“Hidaka é o bonsaísta mais cultuado do Brasil. Por ter se formado em escola agrícola, trouxe novas técnicas para o País”, pontua Fábio Antakly Noronha. Foi justamente sua formação que o trouxe às terras tupiniquins, nos anos 1960, para fazer um estágio em Campos do Jordão. Daqui não quis mais sair, fincando raízes no Estado de São Paulo e acolhendo outros japoneses, como o ceramista Ishugo Izumi, com quem teve uma parceria de muitos anos.

Izumi começou a esculpir vasos para bonsai a pedido do mestre Hidaka, para abrigar as esculturas vivas que criava em seu viveiro. Ainda hoje, o ceramista mantém sua produção, em Atibaia, mesmo depois do afastamento de Hidaka do trabalho diário com as plantas, para cuidar da saúde. “O que identifica nossos vasos são os kanjis estampados nas peças”, conta Rafael Izumi, aprendiz do pai no ateliê que a família mantém próximo ao viveiro de Hidaka, sobre os caracteres em japonês grafados nos vasos. 

Serviço:
Bonsai Kai:
Tel.: (11) 5546-0620

Clube do Bonsai:
www.clubedobonsai.com.br

Ishugo Izumi:

www.ceramicasizumi.com.br

Osamu Hidaki:
Tel.: 4416-1038

Regina Suziki:
suzuki.oya@gmail.com

  • Tags: