1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

O tapete vermelho Oscar 2016

- Atualizado: 28 Fevereiro 2016 | 23h 51

Princesas, sereias e mocinhas: a nova safra de atrizes de Hollywood, que inclui Jennifer Lawrence, Alicia Vikander e Brie Larson, roubou a cena no red carpet com looks frescos, românticos e certinhos

Maria Rita Alonso

Maria Rita Alonso
@MariaRitaAlonso

Maria Rita Alonso é jornalista e editora do canal Moda e Beleza do Estadão

Uma nova geração de estrelas hollywoodianas dominou o red carpet na premiação do Oscar, que ocorreu na noite do último domingo, 28, em Los Angeles. Todas vestidas por jovens estilistas que comandam a cena fashion atualmente. Duas foram de princesa. A sueca Alicia Vikander recebeu a estatueta de melhor atriz coadjuvante de amarelo, em um modelo feito sob medida por Nicolas Ghesquière, da Louis Vuitton. Indicada ao Oscar de melhor atriz, a americana Brie Larson estava com look azul assinado por Alessandro Michele, da Gucci. Embora ambos sejam vanguardistas, no tapete vermelho ousaram pouco (Alicia chegou a ser comparada com a Bela, de “A Bela e a Fera”, no território sempre debochado das redes sociais). Quem surpreendeu e brilhou? Jennifer Lawrence, com um Dior sensual criado pela equipe de designers que assumiu a grife depois da saída repentina do estilista Raf Simons.

O tapete vermelho do Oscar 2016
AFP PHOTO / VALERIE MACON
Alicia Vikander

Primeiro nome de peso a cruzar o red carpet do Oscar 2016, Alicia Vikander surgiu com um vestido amarelo da Louis Vuitton, feito sob medida pelo estilista Nicolas Ghesquière. Ela concorre ao prêmio de melhor atriz coadjuvante por seu papel em "A Garota Dinamarquesa" e tem contrato de exclusividade com a Louis Vuitton.

Enquanto isso, as divas consagradas do cinema, Cate Blanchett e Julianne Moore, optaram por looks criados pelos mais experientes estilistas na ativa. Estavam bonitas e sofisticadas. Juliane com um longo preto, da coleção de alta-costura da Chanel, desenhado por Karl Lagerfeld. Cate optou por um Giorgio Armani meio sereia, verde e com aplicações de flores. O “sereismo”, aliás, é a tendência da vez: caudas longas, decote V e cintura e quadris marcados deram o tom da noite. Cabelos soltos, bem naturais, ou presos apenas na frente, ajudaram a compor o visual romântico e feminino da maioria das mulheres. Se o tapete vermelho do Oscar é considerado a passarela mais importante do mundo, pode-se dizer que a moda agora está mais do lado das mocinhas comportadas do que das vilãs matadoras.

 

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em Vida & EstiloX